Intervenção na Alameda de Plátanos de Colares

Tendo por base a anunciada intervenção, por iniciativa da Estradas de Portugal, na alameda de plátanos de Colares, a Asso­ci­a­ção Árvo­res de Por­tu­gal e a Quer­cus — Asso­ci­a­ção Naci­o­nal de Con­ser­va­ção da Natu­reza, deci­di­ram emi­tir o seguinte comunicado:

A Quercus – ANCN e a Associação Árvores de Portugal, perante a iminência de uma intervenção na alameda de plátanos situada junto à Adega Regional de Colares, no concelho de Sintra, vêm, através do presente comunicado, chamar a atenção da população e das entidades competentes, para os seguintes pontos:
1) As associações em causa apelam a que a Estradas de Portugal torne público o relatório elaborado pelo Engenheiro António Fabião, do Instituto Superior de Agronomia, para que sejam conhecidos, a priori, quais os exemplares que irão ser intervencionados e os motivos técnicos que justificam, caso a caso, essa mesma intervenção.

2) Como forma de tranquilizar todos os que se preocupam com as árvores em causa e com a segurança das pessoas e bens que circulam naquela via, alguns dos quais nos têm feito chegar as suas inquietações, seria útil que fosse esclarecido qual o tipo de formação, na área da arboricultura urbana, que possuem os funcionários da empresa contratada para implementar a referida intervenção.

Adicionalmente, e não menos importante, é a imperiosa necessidade da Estradas de Portugal garantir que os trabalhos serão acompanhados pelo autor do citado estudo técnico.

3) As associações em causa reiteram a sua confiança na idoneidade do relatório elaborado pelo Engenheiro António Fabião, técnico que se tem notabilizado, ao longo dos anos, pelas suas opiniões contra as rolagens e em favor de boas práticas em arboricultura urbana.

Pelo referido no parágrafo anterior, reforça-se o apelo a que os trabalhos se limitem ao estritamente necessário para garantir a segurança de todos os utentes da via na qual se encontram os referidos plátanos, bem como para preservar a saúde e monumentalidade deste conjunto arbóreo.

Dada a importância cultural e paisagística destas árvores, a Quercus – ANCN e a Associação Árvores de Portugal estarão particularmente atentas ao evoluir da operação, de modo a garantir que os trabalhos de manutenção não irão além do preconizado no mencionado estudo técnico, cedendo a eventuais pressões exteriores. Desta forma, pretende-se evitar que possa ficar comprometida, de forma irreversível, a possibilidade de esta imponente alameda vir a ser classificada, pela Autoridade Florestal Nacional, como sendo de Interesse Público, tal como já foi requerido por alguns cidadãos.

Tendo em conta alguns casos recentes menos felizes, como o abate de plátanos em Azeitão ou a rolagem e o abate de árvores no concelho de Trancoso, como ainda recentemente denunciado pelas associações signatárias, estamos certos que a Estradas de Portugal e o seu Gabinete de Ambiente aproveitarão este caso para repor a confiança dos cidadãos, face à sua política de preservação do património arbóreo sob sua responsabilidade.

Pela Direcção Nacional da Quercus – ANCN,
Ana Cristina Figueiredo

Pela Direcção da Associação Árvores de Portugal,
Pedro Nuno Teixeira Santos

3 Responses to “Intervenção na Alameda de Plátanos de Colares”

Deixar uma resposta

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS